Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

I-React: Uma nova resposta às catástrofes naturais

I-React: Uma nova resposta às catástrofes naturais
Tamanho do texto Aa Aa

São as Nações Unidas a apontar o seguinte: nos últimos 30 anos, o número de catástrofes naturais atingiu um patamar nunca antes imaginado. O aumento da frequência destes episódios drásticos torna essencial o aprofundamento dos mecanismos de prevenção e de salvamento. Aliás, há um projeto que junta tudo numa só aplicação.

O I-REACT pretende então melhorar a capacidade de resposta através, entre outros, das redes sociais e dos smartphones. Acompanhámos uma simulação no Centro de Controlo da Proteção Civil, na cidade italiana de Turim.

Destruição após ciclone Kenneth em Pemba, Moçambique REUTERS/Mike Hutchings

"O principal obstáculo num centro de controlo como este é a falta de visibilidade do que se está realmente a passar no terreno", afirma Riccardo Conte, da Proteção Civil de Turim.

O sistema I-REACT faz com que os operadores possam facilmente reunir dados durante uma situação de emergência, conjugando informação recolhida por smartphones, óculos inteligentes e outros dispositivos.

"O I-REACT é um projeto destinado a ampliar a visão de um dado território, numa situação de emergência, através das tecnologias cibernéticas. O sistema usa dados de plataformas que utilizamos todos os dias, como as aplicações dos smartphones ou as redes sociais. E, sobretudo, utiliza imagens e dados do programa de satélites Copérnico, que se tornou numa das principais fontes de informação na Europa", aponta o coordenador do projeto, Fabrizio Dominici.

O I-REACT estará operacional no final de 2019.