Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Testemunhas da chegada dos aliados à Normandia

Testemunhas da chegada dos aliados à Normandia
Direitos de autor
euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Caen, no norte de França, é ponto de passagem de Emmanuel Macron e Donald Trump esta quinta-feira. A cidade foi praticamente arrasada em 1944, quando as forças alemãs aqui se entrincheiraram logo após o desembarque dos aliados.

Gérard Verdonk é uma das raras testemunhas ainda vivas desse dia. No tempo da guerra, morava numa quinta com a família, em Bény-sur-Mer. Foi uma das primeiras localidades libertadas pelas tropas do Canadá a 6 de junho de 1944. Conta que viveu até aquele momento ignorante sobre barbárie nazi durante a ocupação.

"No dia 5 de junho, já à noite, quando estávamos a carregar um barril de água, os aviões americanos ou britânicos bombardearam a bateria de artilharia que estava nas vinhas; A 6 de junho, meu pai sabia, ele já sabia," afirma Gérard que hoje sabe que a família era próxima da resistência. Meses antes, tinha feito o transporte de cimento para os abrigos alemães em Juno Beach. Sem explicar porquê, o pai pediu-lhe nessa altura para contar as distâncias em passos. "Ele recebeu essa informação numa noite e no dia seguinte enviou-a para um cunhado em Disy, que depois a mandou para Inglaterra", afirma.

O Centro Juno Beach conta a história de Gérard Verdonk no âmbito de uma exposição sobre os civis e a forma como viveram o dia D.