A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Médico dos migrantes" leva mensagem de esperança a Bruxelas

"Médico dos migrantes" leva mensagem de esperança a Bruxelas
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O médico italiano Pietro Bartolo é uma das surpresas das eleições europeias em Itália.

Bartolo é também conhecido como o "médico dos migrantes", principalmente na Sicília.

A pouca distância da Sicília, a ilha italiana de Lampedusa, com apenas seis mil habitantes, tem sido um dos locais mais afetados pelo afluxo de migrantes provenientes do norte de África.

Bartolo acredita que a Europa começa em Lampedusa. O médico italiano quer agora levar a sua voz e experiência às instituições da União Europeia.

"Sabe quantas vezes chorei?... ou vomitei, ou quanto vezes tive medo? Foi quando disse basta! Tenho vergonha de não ter conseguido fazer nada para mudar as coisa. Apesar dos meus esforços não consegui gerir a situação, fiz tudo o que sabia fazer. Era apenas um médico mas mesmo assim consegui fazer um filme... escrevi o meu primeiro livro e depois um segundo. Pensava que alguém com coração se iria preocupar... mas no fim de contas, nem isso... Que mais podia fazer? Foi por isso que decidi entrar na política", afirma Bartolo em entrevista à euronews.

Segundo o médico italiano, a Europa devia ser sinónimo de unidade. Mas o que é que o levou a concorrer a um lugar no parlamento europeu em vez do parlamento italiano?

"Penso que o futuro da Europa, este grande continente que nos deu 70 anos de paz... bem, o futuro é o Mediterrâneo, para mim é claro. Nós, italianos, temos o privilégio de fazer parte deste futuro porque o nosso país e as nossas ilhas fazem parte do Mediterrâneo. Temos que criar relações com as pessoas que lá vivem. O Mediterrâneo não deve ser um cemitério, deve ser um mar de vida", diz o novo deputado europeu que integra a bancada dos Socialistas e Democratas.

A ilha de Lampedusa não foi a única localidade afetada pela crise dos migrantes onde o partido anti-imigração saiu vencedor. Na localidade de Riace na Calábria, que se tornou num símbolo de integração dos migrantes, a Liga obteve 30% do voto tornando-se no partido mais votado da localidade.