Última hora

"Não à extradição para a China"

"Não à extradição para a China"
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As ruas de Hong Kong pintaram-se de branco - a cor do protesto contra a a reforma da lei de extradição.

Milhares de pessoas saíram à rua com uma palavra de ordem específica: "Não à extradição para a China."

Em causa, uma lei que permite a extradição de suspeitos de crimes políticos ou religiosos, para qualquer país que não tenha um acordo formal com Hong Kong, incluindo a China,

A mobilização foi liderada por organizações de defesa dos Direitos Humanos como a Amnistia Internacional e a Human Rights Watch.

Os manifestantes consideram que a legislação, a ser aprovada, representa um retrocesso.

De acordo com a BBC, este é o maior protesto desde o Movimento dos Guarda-chuvas, em 2014 - manifestaões que travaram uma reforma eleitoral no território considerada anti-democrática.

Ao abrigo do príncipio "um país, dois sistemas", Hong Kong tinha garantido o direito de manter os regimes social, legal e político por 50 anos após a transferência da administração do território do Reino Unido para a China, em 1997. No entanto, o governo de Pequim tem tentado várias mudanças legais.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.