EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Um contra 19 no fecho do G20

Um contra 19 no fecho do G20
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cimeira do G20 em Osaka, no Japão, termina com compromisso renovado de todos os países presentes com os Acordos de Paris sobre o Clima, com a exceção dos Estados Unidos

PUBLICIDADE

Chegou ao fim mais uma cimeira do G20, com os Estados Unidos em contra corrente face às restantes potências mundiais. 

O relato desde o Japão do enviado especial da euronews Vincent McAviney:

"O G20 terminou aqui, em Osaka, com os Estados Unidos mais uma vez em desacordo com os outros países, 19 dos quais decidiram comprometer-se de novo com os acordo de Paris de 2015 sobre o Clima. Sabíamos durante toda a cimeira que os Estados Unidos eram ferozes opositores e disseram-nos que ouve um trânsito permanente de mensageiros entre equipas de negociadores, mas parece que Donald Trump se mantêm fiel às suas crenças de que as alterações climáticas são uma farsa. O presidente francês Emmanuel Macron veio determinado a tentar convencer os Estados Unidos. Num dos debates, Theresa May frisou que o Reino Unido se tornou na primeira grande economia a assinar um compromisso de zero emissões de carbono até 2050 e a transpô-lo para uma lei. Falou acerca da forma como o país deixo o carvão e das grandes oportunidades que residem nas tecnologias verdes, mas parece que todo esse 'lobbying' dos líderes europeus não convenceu Trump. A China e a Índia concordaram, mas resta saber, com os Estados Unidos de fora, quanto tempo conseguirá esse acordo manter-se intacto."

"Outro tópico foi a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China e, claro, o Irão. Houve um apelo de muitos países para a necessidade de apaziguar a situação e os três países europeus presentes - Alemanha, França e Reino Unido - continuam comprometidos com o acordo nuclear, abandonado pelos Estados Unidos. Mantêm uma posição séria acerca da sua manutenção e esperam que, nalgum momento, talvez com uma nova administração norte-americana, os Estados Unidos possam voltar a aderir."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mundo pós-Covid e clima em debate na cimeira saudita do G20

Trump sugere que vai manter discurso agendado para a Convenção Republicana

Quem foi o atirador que tentou assassinar Donald Trump?