Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Alex Morgan coloca EUA na final do Mundial feminino

Alex Morgan coloca EUA na final do Mundial feminino
Direitos de autor
Reuters/Benoit Tessier
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A avançada Alex Morgan, a celebrar o 30.° aniversário, marcou o golo que vale aos Estados Unidos o regresso à final do Campeonato do Mundo de futebol feminino. As atuais campeãs do Mundo venceram a Inglaterra (2-1) e aguardam o desfecho do Holanda - Suécia para conhecer a derradeira rival.

Estrela dos quartos-de-final, com dois golos, Megan Rapinoe desta vez ficou no banco e a selecionadora Jill Ellys prometeu uma explicação para depois do jogo.

Ainda assim, ficou mais uma vez expresso o protesto da capitã de equipa contra as políticas da Casa Branca contra as comunidades afro-americanas e LGBTI no momento do hino: Rapinoe voltou a não cantar.

Quanto o jogo, os Estados Unidos abriram o marcador aos 10 minutos por Christen Press. A Inglaterra empatou, aos 19, por Ellen White (sexto golo na prova e a subir ao topo da lista das melhores marcadoras). À passagem da meia hora, Morgan, num golpe de cabeça certeiro, fixou o resultado.

As inglesas bem tentaram recuperar e até marcaram o segundo golo, de novo por White, mas o lance viria a ser anulado por indicação de fora-de-jogo do videoárbitro à juiz da partida, a brasileira Edina Alves.

As inglesas ainda tiveram um lance de penálti para empatar, de novo por indicação do VAR, mas a capitã Steph Houghton permitiu a defesa de Alyssa Naeher.

Morgan foi eleita a melhor jogadora da partida, mas considerou que o prémio seria mais justo se fosse entregue a Naeher.