Última hora

Milhares exigem tomada de posse de independentistas catalães

Milhares exigem tomada de posse de independentistas catalães
Tamanho do texto Aa Aa

Os independentistas da Catalunha não se conformam com o facto de três eurodeputados eleitos nesta região espanhola não terem sido autorizados a tomar posse no Parlamento Europeu.

Alguns milhares deslocaram-se a Estrasburgo, em França, para a primeira sessão plenária, terça-feira, exigindo o respeito pelos votos em Oriol Junqueras, detido em Espanha, bem como em Carles Puigdemont e Antoni Comín, exilados na Bélgica.

"Eles devem ser considerado inocentes até ao trânsito em julgado e, por isso, usufruir dos plenos direitos enquanto cidadãos. Foi nessa condição que os nomes constaram das listas e que as pessoas votaram neles livremente", disse, à euronews, Alfred Bosch, secretário para as Relações Externas no governo regional da Catalunha.

"É uma contradição inacreditável que não possam estar aqui a representar os seus eleitores. Pensamos que já não se trata de assunto interno espanhol, mas de um assunto europeu", acrescentou.

Havia grande expetativa para saber se o ex-presidente do governo regional catalão, Carles Puigdemont , se deslocaria da Bélgica para França, mas o seu advogado aconselhou-o a não participar no protesto porque poderia ser detido pelas autoridades francesas.

"Nós tínhamos receio de que ele viesse até cá porque não queremos que seja preso. Mas ele é nosso representante porque votámos nele. Por isso viemos aqui", disse uma manifestante.

Cerca de dez mil pessoas participaram na manifestação, de acordo com fontes da polícia. Avião, mas também autocarros e automóveis particulares foram usados para fazer a viagem de Espanha até França.

Alguns eurodeputados espanhóis eleitos por outros partidos estão de acordo com a decisão do governo espanhol e a consequente não autorização do Parlamento Europeu, alegando que os fugitivos à justiça não têm o direito de tomar posse de cargos institucionais da União Europeia.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.