Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Plástico "pescado" na Grécia vale dinheiro

Plástico "pescado" na Grécia vale dinheiro
Direitos de autor
REUTERS/Jorge Silva
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Grécia tem a correr desde há meses uma parceria entre a Enaleia e os pescadores locais para a recolha de resíduos de plástico no mar e a respetiva reciclagem.

Νιώθουμε τεράστια ευγνωμοσύνη, που το περιβαλλοντικό πρόγραμμα των Ηνωμένων Εθνών (UN Environment) μας επέλεξε στις 5...

Publiée par Εναλεία sur Dimanche 9 juin 2019

Podem ser redes de pesca obsoletas, plásticos ou outros resíduos apanhados durante as pescarias. Em vez de os deitarem fora, agora os pescadores têm quem lhes pague pelo lixo retirado do mar.

Um rendimento extra para estes homens do mar criado pelo fundador da primeira escola grega para pescadores profissionais.

Lefteris Arapakis contou à Euronews a história que tem vindo a repetir do dia em que foi encontrada no mar "uma lata de Coca-cola com uma cor estranha."

"Reparei que o prazo de validade tinha expirado em 1987. A lata andava no mar há 30 anos. Foi a primeira coisa que me chocou. A segunda foi ver um pescador atirá-la de volta para o mar. Disse-me que não era pago para apanhar lixo, mas peixe", lembra o fundador da Enaleia.

A recetividade ao programa tem vindo a aumentar. "Mesmo que tenham começado apenas pelo dinheiro, que não era muito, os pescadores aprenderam a valorizar o gesto. Uma vez, em conversa com um capitão, ele disse-me que nos velhos tempos costumava atirar borda fora o copo de plástico do café que bebia. Agora mete-o no lixo. Lembrei-lhe: foi apenas há seis meses, não foi nos velhos tempos", recordou Lefteris Arapakis.

A Enaleia desenvolveu entretanto um circuito para a reutilização das toneladas de plástico que têm vindo a recolhidas todos os meses pelos pescadores gregos.

"Redes, cordas e outros objetos que recolhemos são enviados para o estrangeiro para serem reciclados e convertidos em meias, fatos de banho e outros utensílios. Plásticos, latas e outros resíduos são colocados na linha de reciclagem que criámos com uma companhia certificada", explicou-nos o fundador da Enaleia, sem precisar os destinos dos resíduos.

Malha portuguesa premiada

Em Portugal, há empresas premiadas pelos projetos de reutilização de detritos de plásticos recolhidos no mar. Foi o caso da Sampaio e Filhos - Têxteis SA, vencedor no ano passado do prémio Eco Performance, na Alemanha.

And the winner of the ECO PERFORMANCE AWARD April 2018 is.... A. Sampaio & Filhos - Texteis with the article 64497...

Publiée par PERFORMANCE DAYS sur Vendredi 6 avril 2018

A empresa portuguesa desenvolveu uma malha incorporando fibras de "polyester" reciclado a partir plásticos recolhidos no fundo do oceano.

Lefteris Arapakis sublinha a necessidade de "haver uma grande cooperação" neste esforço de limpeza dos mares.

"As pessoas têm de parar de deitar fora o plástico; as empresas, de usar o plástico como a principal matéria; os governos têm de ajudar no processo; e nós temos de continuar a remover lixo dos mares", afirmou o fundador da Enaleia.

"O mar é a nossa vida"

Os pescadores reconhecem, cada vez mais, a importância da limpeza dos mares. "Quando continuamos a encontrar no mar todos estes objetos como garrafas, sacos, plásticos de todos os tipos, até motos e bicicletas, o nosso esforço tem de continuar. O mar é a nossa vida", defendeu Christos Panayiotou, capitão de um barco de pesca grego.

O correspondente da Euronews em Atenas, Ioannis Karagiorgas, sublinha que "os resíduos de plástico são o perigo número um para todos os mares do planeta".

"As organizações ambientais estão a pressionar cada vez mais para a implementação de medidas urgentes. Se essas medidas não forem tomadas, estas ONG alertam que até a espécie humana está em perigo", conclui o nosso jornalista.