A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Exposição de Ólafur Elíasson na Tate Modern

Exposição de Ólafur Elíasson na Tate Modern
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A galeria de arte moderna Tate Modern, em Londres, encheu-se de obras que ilustram várias décadas de trabalho de Ólafur Elíasson.

O ADN islandês e dinamarquês do artista contemporâneo convida os visitantes da exposição "In Real Life" a uma interação permanente com peças que exploram a natureza.

"Quando chamei a exposição de 'In Real Life" quis sugerir algumas coisas. Antes de mais, quando se entra num museu, não se sai de um mundo real para uma espécie de mundo dos sonhos. Na verdade aproximamo-nos mais. É como ver a realidade com mais definição, com maior granularidade", sublinha Ólafur Elíasson.

Em nome desse choque de realidade, o artista alerta para a urgência climática com mensagens e fotografias impressionantes colocadas lado a lado para mostrar o impacto da ação humana.

É o ponto de partida para uma verdadeira avaliação pessoal da capacidade para produzir mudanças no mundo.

"Penso que a arte lidou sempre fundamentalmente com questões de identidade e existencialismo. Faço parte do mundo? Ou estou fora? Na vida real fazemos parte do mundo. Não há outra escolha a não ser agir", refere Elíasson.¨

"Moss wall", uma superfície de 20 metros coberta de musgo escandinavo pede aos visitantes para tocarem e sentirem o aroma. Uma instalação para experienciar os elementos da natureza.

"O Ólafur Elíasson pensa que por vezes a urgência climática é apenas comunicada através de um discurso do medo. Quer mudar a forma como pensamos sobre isso para um discurso de alegria e amor. O que gostamos no mundo? Porque nos devemos preocupar?", explica Mark Godfrey, curador de arte internacional na Tate Modern.

A exposição pode ser visitada até 5 de janeiro de 2020.