Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Turquia recebe antiaéreas russas S400 contra avisos dos EUA

Turquia recebe antiaéreas russas S400 contra avisos dos EUA
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Está consumada a compra dos mais avançados sistemas de defesa antiaérea russos por parte da Turquia. Uma aquisição que recebeu o desagrado explicito da Nato e em particular dos Estados Unidos.

Analistas acreditam que a compra dos S-400 é parte de um plano do presidente Erdogan para tornar a Turquia independente na região. Uma movimentação que terá implicações importantes.

"Ao adquirir estes sistemas de defesa S-400, está a criar um problema com os Estados Unidos e outros países. Por causa da compra desses sistemas já observamos movimentações geopolíticas", diz Abdullah Agar, antigo militar e analista de segurança.

A Turquia recebeu represálias. Os Estados Unidos cancelaram a venda de jatos militares F-35 face a receios de a Rússia poder ter acesso a tecnologia de camuflagem ultrassecreta dos aviões. As preocupações são tão grandes que Washington ameaçou o seu parceiro da Aliança Atlântica com sanções.

Os olhos estão agora na economia turca. Novas sanções poderão ter um forte impacto na lira turca, tal como aconteceu no ano passado, quando os norte-americanos impuseram sanções face a uma querela diplomática. O país caiu em recessão. Um cenário que terá contribuído para uma das mais importantes derrotas de Erdogan, a perda do controlo de Istambul nas últimas eleições.

Este economista pensa que Erdogan vai enfrentar muitos outros problemas adiante.

"Se nós considerarmos que um dos grandes sucessos de Erdogan foi a economia... este tipo de problemas começou em 2018 nas eleições e vai certamente ser um grande problema para as futuras movimentações políticas de Erdogan", explica Ugur Demir, economista na Universidade de Comércio de Istambul.

No último ano, os Estados Unidos aumentaram as tarifas na importação de aço e alumínio e impuseram sanções sobre dois dirigentes. Desta vez, a surgirem, as sanções deverão mais pesadas. O horizonte do relacionamento entre Washington e Ancara vislumbra-se negro.