A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Paris, Londres e Berlim unidos pelo fim da escalada de tensão com Irão

Paris, Londres e Berlim unidos pelo fim da escalada de tensão com Irão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os longos meses que foram precisos para se alcançar um entendimento nuclear com o Irão em 2015 poderão não voltar a ser necessários se os EUA levantarem as sanções impostas a Teerão e regressarem ao acordo. São as condições do presidente iraniano, Hassan Rouhani, que disse, durante um discurso transmitido pela televisão, estar pronto para voltar às negociações com Washington em pleno contexto de escalada de tensão.

Este domingo, França, Reino Unido e Alemanha, países que integram o grupo 5+1 (Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha) emitiram um comunicado coletivo. Lembram que há "riscos significativos, que é preciso agir com responsabilidade, procurar formas para parar a escalada de tensão e retomar o diálogo."

Recentemente, o ministro britânico dos Negócios Estrangeiros disse que o petroleiro iraniano Grace 1 será libertado se o Irão der "garantias sobre o seu destino." A embarcação foi retida ao largo de Gibraltar. Estaria, alegadamente, a violar as sanções impostas pela União Europeia à Síria, ao transportar petróleo até Damasco.

O Irão acusou o Reino Unido de atuar a pedido dos EUA.