A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Novo mecanismo de solidariedade para a migração

Novo mecanismo de solidariedade para a migração
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Quatorze países da União Europeia concordam com um novo mecanismo de solidariedade em relação à migração.

O Alto Comissário para os Refugiados, representantes das Nações Unidas e da Organização Internacional das Migrações estiveram reunidos no Palácio do Eliseu, com Emmanuel Macron.

"A Europa não pode funcionar "à la carte" quando se trata de solidariedade. Não podemos ter estados que dizem: "não queremos esta Europa quando se trata de partilhar o fardo, mas querem quando se trata de fundos estruturais."
Emmanuel Macron
Presidente francês

Este novo "mecanismo de solidariedade" foi proposto pela Alemanha e pela França, para uma melhor distribuição dos migrantes pelo bloco europeu. Matteo Salvini respondeu de forma inflamada aos comentários vindos de Paris.

Itália levantou a cabeça, não aceita ordens e não é "dama de companhia". Se Macron quiser discutir sobre os imigrantes que venha a Roma.
Matteo Salvini
ministro do interior italiano

Itália está na linha da frente neste fluxo de migrantes e Salvini alertou ainda sobre o efeito das decisões "tomadas apenas em Paris e em Berlim".

Macron não especificou a natureza do acordo, mas disse que a nova iniciativa seria "rápida" e "automática". Portugal está entre os países que manifestaram uma clara intenção de avançar com este novo mecanismo de solidariedade.