A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Chegou o tempo de agir"

Boris Johnson durante a primeira declaração como PM
Boris Johnson durante a primeira declaração como PM -
Direitos de autor
Reuters/HANNAH MCKAY
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Na primeira declaração pública enquanto primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson deixou bem claro: "o tempo de indecisão acabou, chegou o tempo de agir."

O novo líder do governo britânico garante que não haverá mais adiamentos do Brexit e que a 31 de outubro, o país vai estar pronto para deixar a União Europeia, com ou sem acordo.

"Presto homenagem à força de espírito e paciência da minha antecessora e ao seu profundo sentido de serviço público. Mas apesar de todos os seus esforços, tornou-se claro que há pessimistas dentro e fora do país que pensam, que depois de três anos de indecisão, o Reino Unido tornou-se prisioneiro dos velhos argumentos de 2016 e incapaz de honrar um mandato democrático. Por isso mesmo, estou diante de vocês, para dizer ao povo britânico, que esses críticos estão errados."

Bruxelas já fez saber que não vai reabrir as negociações para o Brexit, mas Boris Johnson mantém-se otimista.

"Vamos fazer um novo acordo, um acordo melhor que maximizará as oportunidades do Brexit, que nos permitirá desenvolver uma nova parceria com o resto da Europa, baseada no livre comércio e no apoio mútuo."

Palavras do novo primeiro-ministro britânico, pouco depois de ter sido recebido em audiência pela Rainha Isabel II, no palácio de Buckingham e da monarca o ter convidado a formar governo.

Uma ida ao palácio real que foi interrompida a meio por um grupo de ativistas de defesa do ambiente. Quiseram passar a mensagem ao novo governante da urgência em lidar com as alterações climáticas.