A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Calor escaldante na Europa

Calor escaldante na Europa
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois da onda de calor de junho, é a onda de calor de julho. Os fenómenos de altas temperaturas repetem-se na Europa e o calor deverá manter-se nos próximos dias.

As condições são extremas e inesperadas, mas as populações vão tentado adaptar-se como refere o repórter da Euronews, Guillaume Desjardin, em França: "Embora tenham sido relatadas, potencialmente, 5 mortes na onda de calor de ontem ainda estamos longe das 10.000-15.000 mortes relacionadas com onda de calor de 2003. O governo aprendeu a lição, as pessoas aprenderam as lições e estão agora a ser mais cuidadosas".

Os cientistas não têm dúvidas que o fenómeno está relacionado com as mudanças climáticas. Ouçamos o diretor do Centro Copernicus de Mudanças Climáticas - Centro Europeu de Meteorologia, Jean-Noël Thépautm: "Há estudos sobre a atribuição de ondas de calor às alterações climáticas e, por exemplo, na última semana de Junho parecia que era pelo menos cinco vezes mais provável haver este tipo de ondas de calor com as alterações climáticas do que sem as alterações climáticas. Por isso, é bastante grave".

Holanda e Bélgica registaram temperaturas record na quarta-feira. Esta quinta-feira na Alemanha, França, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Suíça e Itália, os termómetros podem rondar e mesmo ultrapassar os 40° Celsius.

Em Portugal, quase duas dezenas de concelhos dos distritos de Faro, Castelo Branco, Portalegre, Viseu, Guarda e Bragança apresentam um risco máximo de incêndio.

O risco de exposição à radiação ultravioleta é muito elevado em todo o território nacional, com exceção dos distritos do litoral norte.