A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Vão faltar mulheres na Comissão Europeia?

Vão faltar mulheres na Comissão Europeia?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A primeira mulher a liderar a Comissão Europeia enfrenta uma dura batalha para levar a cabo uma de suas promessas iniciais perante o Parlamento Europeu.

"Assegurarei a plena igualdade de género no meu colégio de comissários", disse Ursula von der Leyen.

Mas cabe ao líder de cada um dos 28 países indicar a pessoa que considera mais qualificada.

Dos 16 até agora formalmente indicados, há apenas seis mulheres, incluindo a própria presidente-eleita.

Em 25 anos, Portugal nunca enviou uma mulher para o cargo e poderá ser um dos países mais pressionados a mudar a tradição.

A atual comissão liderada por Jean-Claude Juncker tem apenas nove mulheres.

O colégio de comissários também tem de ser aprovado pelo Parlamento Europeu, que vê na paridade um critério importante e que poderá colocar alguma pressão, segundo um analista.

"Penso que se o Parlamento Europeu e o Conselho Europeu não fizerem um esforço, será visto mais como um falhanço dessas instituições do que de Ursula von der Leyen. Penso que ela seria sagaz e diria "vejam lá o que eles fizeram"", afirmou Dharmendra Kanani, do centro de estudos Friends of Europe.

Mas a presidente-eleita também ameaçou recusar alguns nomes propostos. Falta saber se vai usar essa arma para ganhar a batalha.