A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Migrantes do Alain Kurdi na Europa e os da Open Arms em alto-mar

Migrantes do Alain Kurdi na Europa e os da Open Arms em alto-mar
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Mais 40 migrantes retirados do mar pelo navio alemão Alain Kurdi da ONG Sea Eye deram entrada em Malta. Os homens e mulheres foram intercetados ao largo da Líbia mas o comandante decidiu viajar para Lampedusa, Itália, alegando ser o porto seguro mais próximo. Roma recusa a presença da embarcação nas suas águas e muito menos nos seus portos.

Os migrantes irão ser distribuídos por vários Estados membros da UE mas nenhum vai fica em Malta, conforme referiu o primeiro-ministro maltês Joseph Muscat. Portugal deverá acolher 5 indivíduos.

A somar a estes quarenta, estão outros 121 migrantes a bordo do Open Arms, navio da ONG espanhola Proactiva, também ao largo de Lampedusa. Os homens, mulheres e crianças foram resgatados em dois episódios distintos. Com os portos italianos e malteses encerrados, Valencia e a comunidade valenciana ofereceram-se para acolher o navio. A oferta está explicita no Twitter.

Mas haverá um impedimento, as autoridades espanholas proíbem a Open Arms de retomar a busca ativa de embarcações em perigo e poderá enfrentar multas até 900 mil euros se a proibição for violada.