A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Alemanha teme cortes nas exportações devido a guerra comercial

Alemanha teme cortes nas exportações devido a guerra comercial
Direitos de autor
REUTERS/Kai Pfaffenbach/File Photo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente dos Estados Unidos Donald Trump rejeita a possibilidade de uma guerra comercial com a China, mesmo depois de ter acusado o país de manipular a moeda e de ter dito que enormes quantidades de dinheiro vindo da China estão a entrar nos Estados Unidos por motivos de "segurança, investimento e taxas de juros".

Quem se está a agitar com as provocações é a Alemanha. Às duas partes, o ministro das Finanças Olaf Sholz pede mais calma e o regresso às negociações.

De acordo com o Eurostat, em 2018, a Alemanha foi o maior exportador da União Europeia para a China. Maquinaria e equipamentos estão entre os bens mais vendidos e, apesar de não ter sido anunciada qualquer aplicação de tarifas, o ministro alemão das Finanças sabe bem que, sem conseguir produzir, a China terá de cancelar a importação das máquinas alemãs.

As repercussões parecem não preocupar Washington. Com um acordo comercial cada vez mais longe no horizonte, a partir de setembro, os Estados Unidos pretendem aplicar taxas aduaneiras adicionais de 10% a 300 mil milhões de dólares de bens e produtos oriundos da China.