EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Motoristas decidem greve em plenário sindical

Motoristas decidem greve em plenário sindical
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os motoristas de matérias perigosas decidem o futuro da greve, em Portugal, num plenário sindical.

PUBLICIDADE

Ao sétimo dia, a greve dos motoristas de matérias perigosas em Portugal pode estar mais perto do descanso.

Sem acordo alcançado entre o sindicato nacional dos trabalhadores e os patrões, o país aguarda pela conclusão do plenário deste domingo. Da reunião sindical, em Aveiras de Cima, poderá sair a decisão de, ao fim de uma semana, por fim à greve e retomar o processo de negociações.

Esta foi, aliás, a condição imposta pela Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias (ANTRAM), representante do patronato, que só está disposta a negociar se os motoristas voltarem à estrada.

Durante a manhã de domingo, o ministro português do ambiente confirmou a possibilidade de uma reunião assim que ambas as partes mostrarem estar disponíveis para se sentar à mesma mesa.

"Existem já todas as condições para que o único sindicato que ainda está em greve faça como os outros dois e se sente à mesa para negociar (...) Essa reunião será marcada imediatamente. Nem vejo razão para que não seja marcada já para amanhã, segunda-feira", afirmou Matos Fernandes.

A reunião não será segunda, mas terça-feira, confirmou fonte governamental à agência Lusa. Isto, claro, se a greve for desconvocada.

O executivo português garante ainda que os serviços mínimos estão assegurados, tendo até sido ultrapassados, este sábado, devido aos trabalhadores que "já não estão em greve".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Greve dos motoristas de matérias perigosas desconvocada

Motoristas só trabalham oito horas

Greve dos motoristas em Portugal: Conselho de Ministros decreta requisição civil