EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ministro brasileiro do Meio Ambiente vaiado em evento sobre mudanças climáticas

Ministro brasileiro do Meio Ambiente vaiado em evento sobre mudanças climáticas
Direitos de autor 
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Muitos participantes empunharam cartazes contra as ações do ministro e a política do Governo brasileiro na área ambiental durante a Semana Latino-Americana sobre Mudança do Clima que se realiza em Salvador da Bahia e tem o apoio da ONU.

PUBLICIDADE

Com o mundo de olhos postos na Amazónia, o ministro brasileiro do Meio Ambiente foi vaiado, esta quarta-feira, enquanto participava na Semana Latino-Americana sobre Mudança do Clima que se realiza em Salvador da Bahia e tem o apoio da Organização das Nações Unidas.

Muitos participantes empunharam cartazes contra as ações do ministro e a política do Governo brasileiro na área ambiental.

No seu discurso, Ricardo Salles defendeu as medidas do Governo de Jair Bolsonaro.

"A apresentação de temas de defesa do meio ambiente e da mudança do clima são, sim, muito importantes. A reunião que estamos a ter aqui consolida essa preocupação".

As políticas ambientais do Governo brasileiro têm gerado críticas dentro e fora do país. Em Salvador, as palavras de Ricardo Salles não convenceram grande parte da plateia como confirma o ambientalista Ilan Zugman:

"Chamamos de grande mentira e de grande farsa esse ministro do meio ambiente. Ele não tem nada de proteção do meio ambiente. Tudo o que fala, nós não estamos a ver ações concretas. É só 'falação' e pouca ação."

Longe de Salvador, em Brasília, a organização não-governamental Avaaz apresentou uma petição, com mais de um milhão de assinaturas, a exigir que o Congresso Nacional tome mais medidas para por cobro ao desmatamento ilegal da Amazónia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chefe indígena responsabiliza Bolsonaro pela catástrofe ambiental

Fogos na Amazónia tornam Manaus irrespirável

Supremo Tribunal Federal derruba tese do marco temporal