A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Montanhas húngaras de Pilis em risco

Montanhas húngaras de Pilis em risco
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nas montanhas húngaras de Pilis, situadas a apenas vinte minutos da capital, Budapeste, há uma pedreira abandonada que esté no centro de uma polémica entre investidores e residentes. A maioria das florestas destas montanhas são áreas protegidas mas a pedreira ficou de fora e agora pode ser reaberta.

As populações locais não querem ver a colina arrasada e 15 mil árvores cortadas. E participam em peso nas audiências da Câmara Municipal. Os municípios só têm uma palavra a dizer em relação às estradas. A presidente da câmara de Pilisszántó, a aldeia mais próxima, alerta para o risco de desaparecimento de habitats importantes e espécies raras.

A autarca lamenta a falta de vontade dos proprietários da pedreira em dialogar com a comunidade e pediu às populações para não cederem.

A euronews falou com Mark McMenemy um dos residentes mobilizados para travar a reabertura da pedreira.

"Tudo isto por aqui é uma floresta Natura 2000, o que significa que é uma área florestal protegida a nível nacional. Excepto esta secção, que só não é porque é uma secção de mineração. De resto, todas as florestas, todas as matas, tudo ao redor é fortemente protegido. Claro que, se a mineração começar aqui, os camiões irão constantemente passar por esta área, arruinando todas estas árvores. E sem mencionar que isso significaria cortar aproximadamente 15 mil árvores para começar a mineração aqui".

A Euronews tentou falar com os proprietários da pedreira mas não conseguiu um comentário.

Para já, os habitantes conseguiram uma pequena vitória. Quando os planos de reabertura da mina foram conhecidos, e face à enorme resistência civil, o proprietário decidiu interromper, temporariamente, o processo de abertura.