A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Irão critica "promessas não cumpridas" dos europeus

Irão critica "promessas não cumpridas" dos europeus
Direitos de autor
PR of IAEO (Iran's Atomic Energy Organization)/WANA (West Asia News Agency) via REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O chefe da Organisação Iraniana de Energia Atómica afirmou que Teerão não tem outra escolha do que reduzir os compromissos assumidos no acordo sobre o nuclear, devido ao que classificou de "promessas não cumpridas" dos europeus.

Uma declaração feita por ocasião da visita do diretor-geral da Organisação Internacional de Energia Atómica, Cornel Feruta.

Ali Akbar Salehi disse que "no que diz respeito ao papel compensatória da União Europeia pela ausência dos Estados Unidos no acordo [...] eles falharam em agir como prometeram".

Feruta afirmou, por seu lado, que exprimiu "a visão de que uma cooperação oportuna e ativa é muito importante e de que o fator tempo também é muito importante".

Esta visita teve lugar depois de Teerão ter anunciado que tinha posto em funcionamento centrifugadoras com o objetivo de aumentar o "stock" de urânio enriquecido, terceiro passo no afastamento dos compromissos assumidos em 2015.

O chefe da diplomacia francesa, Jean-Yves Le Drian, disse que "o Irão tem respostas erradas para uma má decisão por parte dos norte-americanos, porque o facto de agir no sentido de se desembaraçar do acordo de Viena, traduz-se por uma escalada".

Apesar das tensões crescentes, Teerão afirmou que continuará a autorizar o acesso aos inspetores internacionais encarregues de vigiar o programa nuclear iraniano.