A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Mitsotakis contente com saída de Salvini

Mitsotakis contente com saída de Salvini
Direitos de autor
Dimitris Papamitsos_Press Photographer_+306946384863 - DIMITRIS PAPAMITSOS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O priemiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis, está contente com a saída de Matteo Salvini do Governo italiano. Revelação feita na primeira conferencia de imprensa como primeiro-ministro da Grécia, durante a Feira Internacional de Tessalónica.

No primeiro frente-a-frente com os jornalistas, desde que foi eleito há dois meses, Mitsotakis também abordou o problema da crise migratória.

"Já que pergunta, os desenvolvimentos em Itália são positivos (por exemplo, a saída de Salvini do governo). De qualquer forma, acho que a Europa precisa de encontrar um equilíbrio entre a necessidade de proteger as fronteiras e a necessidade de gerir a situação de forma unida e com solidariedade. Não somos um continente que possa ser aberto a todos os migrantes, principalmente migrantes económicos," declarou Kyriakos Mitsotakis.

Mitsotakis também criticou a postura de presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, que ameaçou abrir as fronteiras aos migrantes.

"O senhor Erdogan deve perceber que é impensável ameaçar a Grécia e a Europa para extrair ou tentar obter mais fundos para gerir a crise dos migrantes. A Europa entregou muito dinheiro à Turquia," afirmou Kyriakos Mitsotakis.

O primeiro-ministro grego também deu atenção especial a alguns migrantes.

"Kyriakos Mitsotakis falou longamente sobre o problema dos migrantes menores não acompanhados. Realçou a necessidade de a Europa mostrar maior sensibilidade sobre o assunto. Também disse que pedirá a ajuda dos líderes europeus para que menores não acompanhados sejam acolhidos em todos os países europeus," revelou a jornalista da euronews Nicoleta Drougka.