A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

1ª Parada Gay em Sarajevo

1ª Parada Gay em Sarajevo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas saíram às ruas, este domingo, em Sarajevo para participar na primeira marcha gay na capital da Bósnia-Herzegovina.

O evento decorreu pacificamente apesar dos receios de eventuais ataques. Dias antes, na internet, surgiram ameaças à organização e aos participantes.

A polícia montou um forte dispositivo de segurança para garantir que a parada do orgulho gay decorresse sem sobressaltos.

No evento, participaram várias personalidades homossexuais onde se inclui o embaixador dos Estados Unidos da América na Bósnia-Herzegovina, Eric Nelson.

"É muito importante para que a comunidade LGBT se torne mais visível. Eles estão aqui, vivem aqui (...) Por causa de tanta discriminação, um dia como este é muito raro. Mas é um dia maravilhoso, porque eles estão nas ruas, é um protesto pacífico. Os protestos anti foram ontem e foram pacíficos. A polícia fez um trabalho fantástico, para tornar as ruas seguras para todos nós".

Para a ativista Dajana Bakic, "este é um protesto contra a discriminação e a violência do quotidiano contra as pessoas LGBTIQ, mas também é a maneira de exercemos o nosso direito de reunião pública, na Bósnia-Herzegovina."

No país, o discurso homofóbico é amplamente difundido no quotidiano. Foram organizados vários protestos, na última semana, contra a realização da Parada Gay de Sarajevo.

No domingo, uma dessas marchas foi promovida por uma organização muçulmana e reuniu dezenas de pessoas.

"Estamos aqui porque queremos expressar o nosso protesto contra o modo de vida da população LGBT, que alguém quer trazer para dentro do domínio público regular, para o espaço público. Eles querem levar isso para as nossas ruas, as nossas praças - entre nossas crianças. Estamos a defender o direito das nossas crianças de serem normais, dos nossos netos serem normais. Queremos lutar contra isso. Lutamos contra o modo de vida LGBT, que está a ser introduzido nas nossas escolas, nas nossas casas, nas nossas universidades", assegura o teólogo Sanin Musa.

A Bósnia-Herzegovina é o último país dos Balcãs a organizar uma parada gay, vista como um teste para os direitos das minorias.

Um teste muito importante, em especial para um país que quer entrar na União Europeia.