A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Breves de Bruxelas": As apostas de Ursula von de Leyen, Brexit

"Breves de Bruxelas": As apostas de Ursula von de Leyen, Brexit
Direitos de autor
REUTERS/Yves Herman
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com longa experiência politica e técnico, e sem escândalos conhecidos, Elisa Ferreira poderá ter uma audição relativamente tranquila no Parlamento Europeu. Mas outros nomeados para a Comissão Europeia têm um perfil ou episódios no currículo que já levantam controvérsia.

Este é o tema de abertura do programa "Breves de Bruxelas", que passa em revista a atualidade comunitária. Em destaque estão, também, as seguintes notícias:

  • O governo britânico terá que nomear alguém para integrar a nova Comissão Europeia caso seja aprovado novo adiamento do Brexit, marcado para 31 de outubro. O novo executivo europeu toma posse a 1 de novembro e todos os Estados-membros têm de ter um representante, o que foi confirmado pela presidente-eleita, Ursula von der Leyen.
  • O ex-negociador britânico do Brexit, Olly Robbins, vai trabalhar para o banco norte-americano Goldman Sachs com um salário milionário. A contratação foi aprovada pelo órgão de fiscalização britânico, denominado Comissão Consultiva para Nomeações em Negócios. O ex-presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, também passou a trabalhar para o banco após terminar os dois mandatos.