A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Do Brexit ao patriarcado... novidades literárias na "rentré"

Do Brexit ao patriarcado... novidades literárias na "rentré"
Direitos de autor
STILL
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com a avalanche de informação na imprensa tradicional e redes sociais, às vezes é bom voltar aos livros para ter uma conhecimento mais profundo do que está a acontecer no mundo. A Euronews foi ver as novidades literárias para a "rentré" politica.

No que toca ao Brexit, os leitores têm agora muitas opções satíricas, tais como "Alice no país do Brexit", mas também existem opções sombrias como "Fracasso Heróico".

"Os livros que as pessoas procuram agora são mais sobre como o Brexit não está a ser um processo bem-sucedido. O subtítulo de "Fracasso Heróico" é "A política da dor". Isso explica tudo. Portanto, temos a abordagem pessimista do Brexit e a satírica", explicou Ronny Wellemans, livreiro na Waterstones, em Bruxelas.

As questões ambientais também dominam o interesse dos leitores e chegam ao topo de vendas.

"Todos os meses, a Waterstons seleciona o melhor livro de não-ficção e este mês escolhemos "A Terra Inabitável". Vendomos muitas cópias na versão capa capa dura e agora foi lançada a versão de bolso. Dá-nos uma imagem sombria, mas realista, da situação da Terra, no sentido de que se não mudarmos de comportamento - nos transportes, na alimentação - a Terra tal como a conhecemos deixará de existir", disse Ronny Wellemans.

Na livraria Filigranes, a euronews pediu uma sugestão sobre o tema da migração a um cientista político, que escolheu "A crise do acolhimento", escrita por três investigadores.

"O interesse do livro está em explicar que não existiu, de facto, uma crise da migração no sentido de que o problema não é que tenham chegado demasiados migrantes em 2015. O problema é que existe uma crise de acolhimento dos migrantes, porque as instituições políticas não se prepararam ou não queriam que se acolhessem migrantes", afirmou Martin Deleixhe, investigador na Universidade de Paris 1 Sorbonne.

O fim ou o renovar do patriarcado?

Sobre o tema dos direitos das mulheres e o seu papel na sociedade, Martin Deleixhe sugeriu dois livros. Um deles é "Os Testamentos", a tão esperada sequela de "A História de uma Serva", de Margaret Atwood.

"Esse livro continua a explorar o conceito de uma sociedade totalitária completamente dominada pelos homens. É interessante que possamos, também, fazer um contraponto sobre essa questão do patriarcado, com um livro que gostaria de destacar, escrito por Francis Dupuis-Déri e ​​intitulado "a crise da masculinidade, autópsia de um mito tenaz". É um tema muito atual na medida que são reações ao movimento feminista Me Too e a uma certa contestação do próprio movimento Me Too", disse Martin Deleixhe.

Publicado apenas esta semana, "Os Testamentos" já está nomeado, desde julho, para o famoso prémio literário Booker, algo que é inédito.