A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Matera, capital europeia da cultura e da cocriação

Matera, capital europeia da cultura e da cocriação
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A euronews esteve na cidade italiana de Matera, capital europeia da cultura 2019.

Há nove meses Matera mudou. Música, arte, sons e cores invadiram as ruas da capital europeia da cultura 2019, envolvendo toda a população. Os habitantes e os turistas são parte integral do evento. Para quem vive em Matera, a capital europeia da cultura é uma mais valia.

"Deu-nos a oportunidade de partilhar coisas, entre cidadãos. Matera é uma cidade antiga, fechada geograficamente. Este evento permitiu que as pessoas se abrissem ao exterior e partilhassem a beleza destes eventos", disse à euronews uma habitante de Matera.

Cocriação entre artistas e habitantes

O coreógrafo italiano Virgilio Sieni trabalhou durante meses com as pessoas de Matera para realizar o projeto "Thauma, atlas do gesto". "O projeto desenvolve a relação entre a iconografia, as imagens e as práticas dos cidadãos. Trabalhar com os cidadãos é sempre fantástico. Quando os cidadãos, as pessoas que gostam de arte, prestam atenção a coisas simples, como caminhar ou virar a mão, imediatamente, tudo se torna profundo", sublinhou Virgilio Sieni.

A euronews falou com o diretor da Fundação Matera-Basilicata 2019, Paolo Verri sobre o impacto do evento na cidade. "Matera 2019 colocou, para sempre, Matera no mapa internacional do turismo, como grande protagonista. Deixa-nos competências e jovens preparados e lança um novo produto cultural, a cocriação. Matera, no futuro, será um centro de cocriação permanente, um sítio onde os artistas experimentam como se pode produzir em conjunto com os cidadãos", afirmou Paolo Verri.

O grupo norueguês Jan Garbarek composto por músicos de várias partes do mundo tocou na Cava del sole, em Matera. "A música é a melhor linguagem para comunicar com as pessoas. Não é preciso palavras, basta ouvir. A música é o melhor caminho para a integração, algo de que precisamos muito, hoje em dia", considerou trilok Gurtu, percussionista do grupo.