A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Thomas Cook: Milhares de turistas retidos nas Ilhas Canárias

Thomas Cook: Milhares de turistas retidos nas Ilhas Canárias
Direitos de autor
REUTERS/Enrique Calvo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Nas Ilhas Canárias, 25 mil turistas britânicos ficaram retidos após a falência de Thomas Cook e aguardam o anunciado repatriamento urgente. As mensagens de angústia estão se multiplicando nas redes sociais. Os clientes querem perceber como e quando voltam para casa...depois de umas férias que estão estragadas.

No aeroporto de Palma de Maiorca, desde as primeiras horas desta segunda-feira, havia mais dúvidas que certezas entre os clientes de Thomas Cook. "Disseram-nos para ir ao balcão da Iberia para obter mais informações. Não temos certeza de nada neste momento. Não sabemos nada", garantiu uma turista britânica. "O nosso voo atrasou uma hora", afirmou um turista alemão.

A preocupação de milhares de pessoas retidas nos destinos de férias, é também partilhada pelo setor de turismo espanhol, sobretudo nas Ilhas Canárias e Baleares, que todos os anos recebem milhões de visitantes que chegam com a Thomas Cook.

Entre janeiro e agosto, só as Ilhas Canárias receberam 2,6 milhões de turistas com reservas feitas através da operadora britânica, vindos não só do Reino Unido mas também da Alemanha e países nórdicos.

Os hotéis, a quem a Thomas Cook paga até 90 dias após a saída dos clientes, e as outras empresas ligadas ao negócio, temem agora ficar sem pagamento e sem turistas.