A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Não há força que abane esta grande Nação"

"Não há força que abane esta grande Nação"
Direitos de autor
Reuters
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Há 70 anos que a China se designa popular. A República fundada por Mao Tsé Tung foi celebrada esta terça-feira numa cerimónia perfeitamente cronometrada e sincronizada.

Tiananmen quer dizer "portão da paz celestial", mas neste aniversário voltou a ser palco de manifestação de poder.

China Daily via REUTERS

Uma parada com 15 mil militares e 100 mil civis, emitida em direto pela televisão.

REUTERS/Thomas Peter

Momento para o presidente enviar um recado para o ocidente: "não há força que abane esta grande nação". "O Exército Popular de Libertação e Polícia vão salvaduardar de forma decisiva a soberania, a segurança e o desenvolvimento da nação, protegendo a paz mundial," garantiu Xi Jinping.

REUTERS/Thomas Peter

Para tornar mais clara a mensagem, a China fez também desfilar uma coleção de mísseis.

REUTERS/Thomas Peter

Analistas internacionais já vieram dizer que o desfile prova que o poderio militar chinês está a ganhar mais relevância, em comparação com as restantes potenciais mundiais.

Em Pequim, não se ouviu uma palavra sobre os protestos de Hong Kong que se prolongam há 17 semanas.