Última hora

Parlamento Europeu aprova nomeação de Borrell

Parlamento Europeu aprova nomeação de Borrell
Direitos de autor
REUTERS/Yves Herman
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O parlamento europeu aprovou a nomeação de Josep Borrell para chefe da diplomacia europeia.

Entre os desafios que o esperam conta-se a situação nos Balcãs e, em particular, no Kosovo.

Para Borrel, originário da Catalunha, trata-se de um tema delicado pois a Espanha nunca reconheceu a independência do Kosovo.

"Discordamos no reconhecimento mas concordamos no empenho. E uma coisa é clara: o Kosovo e a Sérvia têm que alcançar um acordo. Isto é importante e vou esforçar-me por cumprir esta prioridade. De facto, a minha primeira visita será a Pristina", anunciou Borrell.

Durante a audiência Borrell teve que responder a questões difíceis, nomeadamente, relativamente a ativos que detém.

"Devido à sua história de conflito de interesses, que o levaram à demissão da universidade e uma multa de 30 mil euros em separado por informações privilegiadas, considera vender os ativos em seu poder para evitar problemas?", questionou a eurodeputada checa Markéta Gregorová, do Grupo dos Verdes.

Borrell afirma que vai vender as ações mas negou ter utilizado informações privilegiadas.

"Alguém que vende 7% dos ativos mas mantém os outros 93%, que acaba por perder na totalidade num valor superior a 300 mil euros, se ele tinha informações privilegiadas, então é estúpido", afirmou Borrell.

O futuro Alto Representante da UE para a Política Externa aproveitou a audiência para se desculpar de comentários feitos sobre Índios norte-americanos insistindo que existe uma ameaça na Europa de Leste e que as sanções contra a Rússia devem ser mantidas.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.