EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

UE procura estratégia para Política Externa

UE procura estratégia para Política Externa
Direitos de autor Reuters
Direitos de autor Reuters
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia reunidos, segunda-feira, no Luxemburgo, tentaram estabelecer linhas de orientação para os próximos cincos anos ao nível da política externa e de segurança, confirmou a chefe da diplomacia da União, Federica Mogherini.

PUBLICIDADE

Em matéria de segurança e defesa no palco mundial, a União Europeia continua sem uma voz unânime e sem uma posição ambiciosa.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros reunidos, segunda-feira, no Luxemburgo, tentaram estabelecer linhas de orientação para os próximos cincos anos, confirmou a chefe da diplomacia da União, Federica Mogherini.

"Tentaremos ter um olhar mais estratégico sobre como a União Europeia pode desempenhar seu papel no mundo no momento em que for mais necessário", disse aos jornalistas.

Exemplo dessa necessidade é a atual crise no Golfo Persico que aumenta em tensão no exato momento em que a União Europeia tenta salvar o acordo nuclear com o Irão.

Um acordo em que França, Alemanha e Reino Unido contribuíram com maior capacidade diplomática, mas o Brexit e a degradação de relacionamento com os Estados Unidos colocam essa conquista em causa.

Alargamento ao Balcãs

Outro ponto onde há divergências no seio da União é a abertura de negociações com a Albânia e a Macedónia do Norte para serem Estados-membros.

Estes países da região dos Balcãs cumpriram os critérios iniciais impostos pela Comissão Europeia, mas vários países, tais como Holanda e França.  consideram que não é o melhor momento para falar de novo alargamento da União. Já os países de leste pensam que não se devem defraudar as expettaivas da região.

"Precisamos, efetivamente, que os Estados-membros e suas delegações diplomáticas trabalhem de forma aberta e colaborativa com as delegações da União Europeia no mundo. Quando for normal esse trabalho de colaboração permanente ao nível das prioridades políticas européias, então passará a haver uma política externa extremamente eficaz por parte da União Europeia", disse o analista Peter Chase, do German Marshall Fund.

Federica Mogherini diz que a economia e o clima devem ser centrais na diplomacia europeia e sugeriu que poderá haver maior cooperação ao nível dos serviços secretos.

A nova Comissão Europeia tomará posse a 1 de novembro, o que implica um novo Alto Representante para a Política Externa e de Segurança.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Parlamento Europeu aprova nomeação de Borrell

Irão leva Pompeo a reunir-se com Mogherini em Bruxelas

"Continuamos a apoiar totalmente o acordo nuclear com o Irão"