Última hora

"Breves de Bruxelas": Adiar Brexit e prolongar audições no PE

"Breves de Bruxelas": Adiar Brexit e prolongar audições no PE
Direitos de autor
REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Conceder ou não conceder um adiamento. Eis a questão na interminável saga do Brexit. O primeiro-ministro britânico chegou a dizer que preferia "morrer numa valeta" a pedir um adiamento.

Mas Boris Johnson teria de encontrar uma forma de ultrapassar a chamada lei Benn, aprovada pelo Parlamento britânico, que impede a saída do Reino Unido da União Europeia sem acordo.

Do lado de Bruxelas, pedimos opiniões a dois eurodeputados já que o Parlamento Europeu também terá de aprovar o acordo negociado entre o governo britânico e a equipa de Michel Barnier, em nome dos outros 27 países.

Embora a data de saída atual seja 31 de outubro, a lei Benn obriga o primeiro-ministro britânico a fazer o pedido de adiamento até 19 de outubro. Em princípio serão mais três meses, mas essa duração poderá vir a ser alterada.

Neste programa sobre a atualidade europeia falamos, ainda, das audições aos indigitados para a Comissão Europeia.

Com maior ou menor pressão dos eurodeputados, a maioria dos indigitados conseguiu passar nas provas escrita e oral, mas ainda há três casos em aberto: França, Roménia e Hungria.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.