A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Brexit sem acordo à vista

Brexit sem acordo à vista
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

No meio do cada vez mais complicado processo da negociação sobre o Brexit, Boris Johnson recebeu o novo presidente do Parlamento Europeu. O encontro criou expetativas mas, no final, David Sassoli revelou que não há progressos

"Não vamos aceitar nada que comprometa o Acordo de Sexta-feira Santa e o processo de paz ou que comprometa a integridade do nosso mercado único”.

Londres e Bruxelas tentam desviar as culpas num cenário de um Brexit sem acordo.

Esta terça-feira, os jornais britânicos citaram uma fonte anónima de Downing Street que revelou que para Angela Merkel só haverá acordo se a Irlanda do Norte permanecer para sempre na união aduaneira da União Europeia, uma condição inaceitável para o Governo britânico.

Nas redes sociais, o presidente do Conselho Europeu criticou a forma como Boris Johnson está a conduzir as negociações e disse que o que está em causa não é um “jogo estúpido de passa-culpas”, mas o futuro da Europa e do Reino Unido.

O ministro dos Negócios Estrangeiros da Irlanda continua a acreditar no Brexit com acordo. Para Simon Coveney, apesar das diferenças e da falta de tempo, se o Governo do Reino Unido quiser, a esperança mantém-se

“Há muita informação falsa a circular hoje em dia, por isso, permitam-me que diga isto em alto e bom som a todos: o Governo irlandês e a União Europeia estão a trabalhar arduamente para alcançar um acordo que prevê um Brexit ordeiro no final deste mês".

Leo Varadkar, primeiro-ministro da Irlanda, não tem dúvidas sobre a responsabilidade do impasse nas negociações.

“O que o Reino Unido fez foi repudiar o acordo que negociámos de boa-fé com o Governo da Primeira-Ministra May, durante dois anos. Agora voltou a pôr metade desse acordo na mesa, dizendo que se trata de uma concessão. E claro que não é verdade.”

O Parlamento de Londres foi, uma vez mais, temporariamente suspenso. Nos bastidores, as negociações vão continuar. Os adversários de Boris Johnson não desistem e querem evitar a todo o custo um Brexit "sem acordo".