Tensão na NATO

Tensão na NATO
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A ofensiva militar da Turquia contra os curdos no nordeste da Síria mereceu duras críticas por parte de vários países europeus e dos Estados Unidos da América no entanto a Aliança Atlântica recusou condenar a intervenção de Ancara.

PUBLICIDADE

Os ministros da Defesa dos países da NATO iniciaram, esta quinta-feira, uma reunião de dois dias em Bruxelas. O encontro ocorre envolto em tensões após a Turquia ter iniciado uma ofensiva militar contra os curdos no nordeste da Síria.

A ação mereceu duras críticas por parte de vários países europeus e dos Estados Unidos da América no entanto a Aliança Atlântica recusou condenar a intervenção de Ancara.

O secretário-geral da organização, Jens Stoltenberg, apoiou "as preocupações legítimas para a sua segurança" apresentadas pela Turquia.

"Não houve nenhum pedido para uma missão da NATO no nordeste da Síria. Acredito firmemente que o que precisamos é de um esforço para apoiar o processo político, uma solução política duradoura e, portanto, a NATO também apoia fortemente os esforços liderados pela ONU para encontrar uma solução política para a crise na Síria."

A ministra alemã da Defesa, Annegret Kramp-Karrenbauer, defendeu a ideia de criar, sob a égide das Nações Unidas, uma zona de proteção internacional no norte da Síria.

Mas o acordo entre os presidentes Recep Tayyip Erdogan e Vladimir Putin ameaça seu projeto.

"Não nos opomos, em princípio, a estudar a fórmula para uma zona internacional. De momento, existe uma situação no terreno que evoluiu na sequência dos acordos entre a Turquia e a Rússia. Vemos como as coisas estão a correr. Analisaremos, primeiro, as informações mais concretas sobre a situação no terreno e depois se uma fórmula como esta pode realmente ser implementada", referiu o ministro belga dos Negócios Estrangeiros, Didier Reynders.

No acordo firmado na terça-feira entre a Rússia e a Turquia, Ancara concordou em restringir as operações militares no norte da Síria à região fronteiriça, de modo a garantir a integridade territorial do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE adota projetos na área da Defesa para reforço da NATO

Submarinos da NATO realizam exercícios de guerra no Mediterrâneo

Grécia mais acessível para os turistas turcos