Última hora

Ambiente e comércio dominam visita de Emmanuel Macron à China

Ambiente e comércio dominam visita de Emmanuel Macron à China
Direitos de autor
REUTERS/Aly Song
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A guerra comercial entre a China e os Estados Unidos da América e a proteção do ambiente estão no cerne das conversações entre Emmanuel Macron e Xi Jinping.

No segundo dia de visita à China, o presidente francês sublinhou a importância de se encontrar um acordo para colocar fim à guerra comercial entre as duas maiores economias do mundo, que prejudica, também, todos os outros países.

Na abertura da Feira de Importações e Exportações, em Xangai, o presidente chinês defendeu que as barreiras comerciais globais devem ser derrubadas e que os países devem apoiar os princípios básicos do comércio multilateral, contra os protecionismos.

O presidente francês afirmou que além do comércio, os países podem, ainda, colaborar em outras áreas como o ambiente.

"As nossas políticas industriais, normas e diplomacia devem colocar a luta pela biodiversidade e a luta contra o aquecimento global no centro da sua agenda. E digo-o hoje com grande força e confiança, porque não se trata de uma agenda que esteja separada da agenda comercial e económica. Está no coração dela. É isso que tornará a agenda económica sustentável e aceitável para os nossos povos".

O discurso de Macron surge numa altura em que os Estados Unidos estão a preparar-se para se retirarem do Acordo de Paris.

O presidente francês termina a visita à China esta quarta-feira. Em Pequim, e antes de voltar para a Europa, Emmanuel Macron e Xi Jinping irão assinar cerca de 40 contratos que irão fortalecer as relações comerciais entre a França e a China.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.