EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

China responde à investigação da UE sobre os subsídios às indústrias verdes

Turbina eólica vista
Turbina eólica vista Direitos de autor Toby Talbot/AP
Direitos de autor Toby Talbot/AP
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

A China respondeu à investigação da UE sobre os subsídios às indústrias verdes, acusando-a de protecionismo.

PUBLICIDADE

A China acusou a União Europeia de protecionismo e de "distorção imprudente" da definição de subsídios, em resposta a uma nova investigação da UE sobre os fabricantes chineses de turbinas eólicas.

Segundo o Ministério do Comércio, um funcionário chinês responsável pelo comércio fez "declarações solenes" sobre a questão numa reunião em Bruxelas, na quarta-feira, com Martin Lukas, o diretor-geral da UE para a defesa comercial.

"A distorção imprudente da definição de subsídios por parte da União Europeia e a falta de abertura e transparência nas normas processuais durante a investigação é um ato protecionista que prejudica o ambiente de concorrência leal em nome da concorrência leal", afirma o comunicado.

A investigação aberta pela União Europeia na terça-feira é a última contra empresas chinesas anunciada nos últimos dois meses ao abrigo de um novo regulamento da UE.

A investigação vai analisar se os subsídios chineses estão a dar às empresas de turbinas eólicas uma vantagem injusta na competição por projectos em cinco países membros: Espanha, Grécia, França, Roménia e Bulgária.

"Estamos a utilizar plenamente os instrumentos de que dispomos", declarou a Comissária Europeia responsável pela concorrência, Margrethe Vestager, ao anunciar a medida.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE vai investigar subsídios concedidos aos produtores chineses de turbinas eólica

Comprar peças originais sem ir à falência: bem-vindos à feira de arte acessível de Hong Kong

Putin enaltece comércio bilateral no último dia da sua visita à China