Última hora

Genebra atribuiu os Grandes Prémios da Relojoaria

Genebra atribuiu os Grandes Prémios da Relojoaria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Grande Prémio da Relojoaria é o equivalente aos Óscares da indústria relojoeira, na celebração dos melhores relógios de todo o mundo.

Desde os mostruários incrustados com diamantes até às criações mecânicas mais complexas, tudo é admirado.

"Há muita técnica, muita inovação, muita beleza, muita paixão na indústria relojoeira e isso é simplesmente bonito de admirar", diz Raymond Loretan, da organização deste prémio.

São precisas milhares de horas de trabalho meticuloso de artesãos qualificados para fazer relógios caros como estes. Uma peça de 2,5 milhões de euros que, quando se liga a um relógio atómico, corrige automaticamente a hora.

No entanto, o maior prémio da noite foi para um objeto mais barato - ou seja, se tivermos 137 mil euros nas poupanças.

O presidente da Audemars Piguet diz: "O dinheiro não faz parte da equação aqui! Sim, há relógios incríveis, com preços loucos, que valem a pena, obviamente, e nós também fazemos relógios caros, mas no final o que importa é que podemos despertar emoção em tudo o que fazemos e acho que fizemos isso muito bem esta noite".

A nove mil e quinhentos quilómetros, os distúrbios em Hong Kong estão a preocupar a indústria. A região controlada pela China é responsável por cerca de 10% das vendas globais de relógios de luxo e os compradores fazem um compasso de espera para ver se os protestos pró-democracia continuam.

"Hong Kong é um dos principais lugares de luxo. Assim, as marcas mais fortes, como a Bulgari, sendo muito internacionais, compensam o declínio de Hong Kong por todos os outros destinos para onde os turistas ainda vão", explica Jean Christophe-Babin, presidente da Bulgari.

Os artesãos desta indústria esperam que a estratégia mantenha o negócio a funcionar. O repórter da Euronews, conclui: "Os analistas preveem que o mercado de relógios de luxo continue a crescer nos próximos anos, impulsionado pela procura da Ásia. E apesar de as vendas de relógios inteligentes, como o da Apple, tenderem a superar as dos seus pares tradicionais, os relojoeiros aqui acreditam que os seus produtos serão sempre procurados".

­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­­

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.