Última hora

Pompeo defende Nato mas deixa um alerta

Pompeo defende Nato mas deixa um alerta
Direitos de autor
REUTERS/Hannibal Hanschke/Pool
Tamanho do texto Aa Aa

Depois da chanceler alemã dizer que não concorda com a “visão radical” do presidente francês, que considera que a NATO está em “morte cerebral”, foi a vez do secretário de estado norte-americano elogiar a Aliança Atlântica.

Em Berlim, Mike Pompeo afirmou que a organização continua a ser crucial e é uma das parcerias estratégicas mais relevantes de sempre. Mas, no futuro, são precisas mudanças.

“A NATO corre sempre o risco de se tornar obsoleta, não por causa da parceria, não por causa dos compromissos políticos. Se os países acreditarem que podem obter os benefícios da segurança sem fornecer à NATO os recursos de que a organização necessita, se não cumprirem os seus compromissos, existe o risco da NATO se tornar ineficaz ou obsoleta"

Mike Pompeo está em Berlim para participar nas comemorações dos 30 anos da queda do Muro. Esta sexta-feira, encontrou-se com a chanceler alemã. Depois do encontro, Angela Merkel sublinhou a vontade da Alemanha continuar a trabalhar com os parceiros internacionais na resolução dos grandes conflitos mundiais

“Hoje temos novas questões pela frente e estamos a tratá-las como parceiros e amigos. Temos de fazer face a estas questões que o mundo enfrenta. Queremos continuar a desempenhar um papel ativo na resolução destes conflitos”.

As polémicas declarações de Emmanuel Macron também tiveram eco no governo de Moscovo. Sergei Lavrov, o chefe da diplomacia russa, disse que não quer fazer diagnósticos mas, “se o presidente Macron considerou que esse diagnóstico estava correto, tem o direito de o dizer”.

Para além de falar sobre a NATO, na entrevista ao jornal The Economist Macron alertou para a "extraordinária fragilidade da Europa, que já não pode contar com os Estados Unidos para se defender”

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.