EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Maré humana exige reforma eleitoral justa na Geórgia

Maré humana exige reforma eleitoral justa na Geórgia
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Oposição e manifestantes acusam o sistema de favorecer o partido no poder que já prometeu mudanças para 2024.

PUBLICIDADE

Querem uma reforma eleitoral e de imediato. Uma maré humana inundou as ruas de Tbilissi na Geórgia para exigir a representação proporcional e a reforma do sistema eleitoral que dizem estar a favorecer injustamente quem está no poder.

O partido georgiano-democrata dos sonhos, no poder desde 2012, agendou mudanças para 2024 mas a oposição parece ter perdido a paciência.

O líder do partido Geórgia Europeia, Giga Bokeria, diz que tinham "um contrato, promessas de mudanças e depois houve uma charada nojenta para o público, ninguém vai aceitar isso. E depois continuamos com a mensagem do insulto, provavelmente. Por isso, este protesto vai continuar e vai ficar muito mais quente".

A líder do Movimento Nacional Unido explica que "todos neste país percebem que Ivanishvili, o primeiro-ministro, tem que ir e que vai sair. Cabe-lhe a ele decidir se é hoje ou amanhã mas o governo chegou ao fim". Tina Bokuchava conclui ao afirmar que "é tempo para uma mudança de regime e há que fazer isso o mais rápido possível, sendo também esse o espírito destes protestos".

A soprarem cornetas e a empunharem cartazes, os manifestantes sentaram-se no chão e ergueram tendas em frente a um parlamento guardado por centenas de agentes da polícia.

"Protesto contra o que está a juntar aqui toda esta gente - injustiça e desordem no país. Em vez de corrigir os erros do governo anterior, este governo faz pior. Nós queremos eleições proporcionais para que todos os partidos tenham o que de facto merecem", explica uma mulher.

Na última semana, a polícia recorreu a canhões de água para dispersar manifestantes em torno do parlamento. 37 pessoas foram detidas e condenadas a penas entre os quatro e os 13 dias de prisão em julgamentos que oposição diz terem estado politicamente motivados

Esta segunda-feira os protestos terminaram de forma pacífica.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Noite de tensão em Tiblíssi

Manifestantes denunciam resultados eleitorais na Geórgia

UE condena presença militar russa na Geórgia