Última hora
This content is not available in your region

2019 em revista - O ano desportivo

2019 em revista - O ano desportivo
Direitos de autor
Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

O ano de 2019 ofereceu aos adeptos do desporto pelo mundo fora uma dose generosa de drama, paixão e emoção.

Rugby: Para a África do Sul não há duas sem três

Liderada por um homem de côr pela primeira vez nos 128 anos de história da Springboks, a seleção sul-africana de rugby surpreendeu a equipa da Inglaterra, a favorita ao título, com uma vitória por 32 a 12 e sagrou-se pela terceira vez campeã do mundo, na cidade japonesa de Yokohama.

"Para a África do Sul, nunca se tratou apenas de um campeonato de rugby mas sim da história de uma equipa que une uma nação e cria uma nova onda de esperança."
Rassie Erasmus, Treinador da Springboks

Tendo sido derrotados pelo All Blacks na abertura do campeonato, os Springboks tornaram-se a primeira equipa a perder uma partida dos preliminares e apesar disso, levantar o troféu.

A África do Sul conquistou três vitórias em três finais do Campeonato do Mundo, mantendo intacto o recorde e um ritmo de triunfos de doze em doze anos.

Mundial de futebol feminino: o quarto triunfo dos EUA e a luta pela igualdade entre géneros

No início do ano, a seleção nacional feminina de futebol dos Estados Unidos regressou em glória a casa depois de sagrar-se em França campeã do mundo de futebol pela quarta vez.

Centenas de milhares de adeptos lotaram as nove cidades francesas que acolheram o campeonato e, de acordo com a estimativa da FIFA, o número de telespectadores atingiu pela primeira vez os mil milhões.

A equipa de Alex Morgan começou à grande, e neste caso à francesa, derrotando a seleção da Tailândia por 13 a 0, antes de derrotar a Espanha, França e Inglaterra na fase eliminatória e marcar depois encontro na final com a Holanda.

A seleção dos Estados Unidos acabou por derrotar a equipa campeã europeia em título de 2017, por 2 a 0, somando mais um título mundial aos conquistados em 1991, 1999 e 2015, e terminando em beleza uma edição do campeonato que teve o seu quinhão de controvérsias dentro e fora do campo, sobre alegada espionagem e a desigualdade salarial entre géneros.

"Acho injusto que as mulheres não sejam pagas da mesma forma por atividades idênticas, neste caso pelo mesmo desporto. Já não vivemos no século XIX, estamos em 2019 e devemos tratar todos igualmente."

Adepta de futebol
Adepta de futebol

A seleção de futebol feminino dos Estados Unidos está presentemente a processar a Federação norte-americana de Futebol por aquilo a que chamam "discriminação de género institucionalizada," incluíndo a desigualdade salarial.

O julgamento foi agendado para 5 de maio de 2020, pouco menos de três meses antes do início dos Olímpicos de verão em Tóquio, onde a equipa deverá competir.

Ciclismo: colombiano 'Super-Miúdo' Egan Bernal vence a Volta à França

O ano de 2019 foi também o ano do ciclista Egan Bernal, a jovem estrela que se tornou o primeiro colombiano a vencer a Volta à França em bicicleta.

Conhecido no seu país de origem como o 'Super-Miúdo' e com especial talento no ciclismo de montanha, o jovem de 22 anos tornou-se o mais jovem campeão da prova do pós-guerra, cortando a linha da meta nos Campos Elísios perante o jubílio de centenas de compatriotas que o seguiram até França, numa edição da Volta em que esteve tudo em aberto até à penúltima etapa nos Alpes.

Com o seu triunfo, Bernal pôs termo à onda de quatro vitórias consecutivas da Grã-Bretanha na corrida mais prestigiosa do ciclismo, naquela que foi, sem dúvida, a maior conquista desportiva de sempre para a Colômbia.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.