Japão e Turquia investigam fuga de Carlos Ghosn para o Líbano

Japão e Turquia investigam fuga de Carlos Ghosn para o Líbano
Direitos de autor Авторское право: AP Photo/Eugene Hoshiko, архивное фотоEugene Hoshiko
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades japonesas fizeram buscas na casa de Carlos Ghosn, em Tóquio. Na Turquia foram detidas sete pessoas suspeitas de envolvimento na fuga.

PUBLICIDADE

As autoridades japonesas procederam esta quinta-feira a uma perquisição na casa onde residia Carlos Ghosn, em Tóquio, antes de fugir para o Líbano.

Querem perceber como é que o ex-patrão do grupo Renault-Nissan, que aguardava julgamento em liberdade condicionada e sob vigilância, conseguiu deixar o país.

Ghosn está no Líbano, em local desconhecido. Beirute recebeu um mandado de detenção por parte da Interpol. O governo libanês já disse que Carlos Ghosn entrou no país legalmente e não há razão para o perseguir.

Um amigo refere que ele "está confiante no futuro, tem imensos projetos e isso é o mais importante. Está rodeado pela família e pelos amigos. Aqui (no Líbano) está em casa".

Suspeita-se que, na fuga do Japão, tenha utilizado um avião privado até Istambul. O governo turco está a investigar sete pessoas suspeitas de estarem relacionadas com a passagem do foragido à justiça japonesa por um aeroporto da cidade.

Os advogados no Japão dizem ter os três passaportes de Ghosn: um francês, um brasileiro outro libanês, mas parece haver um segundo, e inexplicável, passaporte francês, que pode ter sido utilizado na Turquia para as formalidades normais do aeroporto de onde viajou para o Líbano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mulher de Carlos Ghosn alvo de mandado de captura

Grécia mais acessível para os turistas turcos

Chuvas fortes causam pelo menos uma morte na Turquia