Última hora
This content is not available in your region

Irão promete "vingança implacável"

euronews_icons_loading
Irão promete "vingança implacável"
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

O Iraque acordou com a notícia do ataque dos Estados Unidos no aeroporto de Bagdad e com a morte do líder da guarda revolucionário da irão e do “número dois” da coligação dos grupos paramilitares pró-iranianos no país.

Na praça Tharir, no centro da capital iraquiana, as opiniões dividem-se.

Há quem considere que a morte de Soleimani e Abu Mahdi al-Muhandis vai eliminar os partidos corruptos que estão a destruir o Iraque. E há quem defenda que os Estados Unidos e o Irão devem resolver os problemas fora do Iraque e que a morte de Soleimani não vai ser celebrada porque não muda nada na vida dos iraquianos.

Pouco depois de ser divulgada a morte do comandante iraniano, foram conhecidas as reações dos principais líderes envolvidos no ataque.

Donald Trump, na conta do Twitter, publicou apenas uma imagem da bandeira norte-americana sem qualquer comentário.

Muhammad Javad Zarif, ministro das Relações Exteriores do Irão, afirmou que o assassinato de Soleimani foi "uma escalada extremamente perigosa e imprudente".

O Ayatollah Ali Khamenei, o líder supremo do Irão, declarou um período de luto nacional de três dias e prometeu uma vingança implacável.