Última hora
This content is not available in your region

França recorda ataque ao Charlie Hebdo

França recorda ataque ao Charlie Hebdo
Direitos de autor
AP
Tamanho do texto Aa Aa

O ataque terrorista ao jornal satírico Charlie Hebdo foi há cinco anos. Esta terça-feira de manhã realizou-se em Paris uma cerimónia sóbria de homenagem às 12 pessoas que morreram, baleadas pelos irmãos Kouachi. A cerimónia aconteceu juntos às antigas instalações e contou com a presença do presidente na altura, François Hollande, membros do atual governo e da presidente da câmara da capital francesa, Anne Hidalgo.

Entre as vítimas mortais, contavam-se figuras emblemáticas do jornal.

A capa do jornal Charlie Hebdo depois do ataque de 7 de janeiro de 2015

Alguns populares assistiram às homenagens. "Estava em casa, ouvi na TV e na Rádio o que se estava a passar e fiquei indignada. Mais tarde juntei-me às pessoas que se juntaram nas manifestações, tal como todos os franceses, que colocaram no coração palavras de liberdade e secularismo", diz uma parisiense.

"Esta batalha pela liberdade de expressão já aconteceu nos séculos 17, 18, 19, 20 e 21. Porque existem pessoas que querem impedir esta liberdade de expressão", explica um homem.

Ao atentado do Charlie Hebdo sucederam-se os ataques de Amédy Coulibaly em Montrouge e num mercado judeu de Paris. Junto ao mercado Kosher houve também uma homenagem com as famílias das 4 pessoas assassinadas.

Esta quarta-feira realiza-se uma outra cerimónia em memória dos dois polícias abatidos em Montrouge.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.