Última hora
This content is not available in your region

Sapatos vermelhos contra o feminicídio

euronews_icons_loading
Sapatos vermelhos contra o feminicídio
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Centenas de sapatos vermelhos, colocados no coração da Cidade do México para alertar para o problema grave da violência contra as mulheres, num país onde, em média, 10 mulheres ou meninas são assassinadas todos os dias e menos de 10% dos casos são resolvidos.

Uma artista criou este projeto quando a sua irmã foi assassinada pelo seu companheiro. Uma causa que a toca, particularmente:

"As mulheres não costumavam sair para a rua e falar sobre a violência doméstica. Há 10 anos que tenho este projeto e vejo a evolução, o que mudou, e as manifestações que estão a acontecer são, absolutamente, necessárias. Não podemos conseguir mudança sem se ver o inconformismo", explica Elina Chauvet.

O presidente, Andrés Manuel López Obrador, que tomou posse à cerca de um ano, comprometeu-se a dar prioridade à resolução deste problema mas ainda nada mudou. E, por isso, sucedem-se os protestos contra a incapacidade das autoridades de resolverem o problema da violência de género num dos países onde é mais perigoso ser-se mulher.