Última hora
This content is not available in your region

Deputados afastados com violência do parlamento venezuelano

Deputados afastados com violência do parlamento venezuelano
Direitos de autor
AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Foi com civis armados com paus e outros objetos que foi recebida uma comitiva de deputados da oposição venezuelana que tentavam alcançar o parlamento, em Caracas.

Alguns políticos ligados a Juan Guaidó relatam mesmo a ocorrência de disparos para os impedir de chegar perto da Assembleia Nacional, cercada desde cedo pela Guarda Bolivariana.

Os ataques aos veículos, nos quais também seguiam jornalistas, foram protagonizados por grupos de cidadãos que têm sido denunciados pela oposição como membros de um movimento paramilitar que apoia Nicolás Maduro. Aliás, têm-se repetido testemunhos de agressões, nomeadamente a profissionais da comunicação social.

"Estão a anunciar a tomada militar do parlamento: digo isto ao mundo inteiro. Estão a utilizar, militar e paramilitarmente, grupos civis armados pela ditadura para atacar com violência o Palácio Federal, os deputados, os professores e os cidadãos", declarou Guaidó.

O bloqueio do acesso ao parlamento aconteceu também no passado dia 5, quando Guaidó foi travado à porta do edifício, enquanto no interior os seguidores de Maduro elegiam um novo presidente da assembleia, Luis Parra.

Mais de 50 países, entre os quais Portugal, reconhecem Guaidó como o presidente interino da Venezuela.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.