EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Arcebispo de Lyon absolvido em segunda instância

Arcebispo de Lyon absolvido em segunda instância
Direitos de autor AP Photo/Laurent Cirpriani
Direitos de autor AP Photo/Laurent Cirpriani
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Cardeal Philippe Barbarin tinha sido condenado por ocultar casos de pedofilia na sua diocese

PUBLICIDADE

O cardeal francês Philippe Barbarin, condenado em primeira instância a seis meses de pena suspensa por ocultar casos de pedofilia na diocese de Lyon, foi absolvido esta quinta-feira em recurso.

Philippe Barbarin, arcebispo de Lyon: "É com serenidade que tomo nota da decisão do Tribunal de Recurso de Lyon, que declarou que não sou culpado do que me acusavam. Esta decisão permite virar uma página. Para a Igreja de Lyon, é a ocasião de abrir um novo capítulo. Vou de novo pôr o meu cargo de arcebispo de Lyon nas mãos do Papa Francisco. Se ele quiser, irei a Roma. Em março, ele recusou a minha demissão, aceitando que me afastasse durante o processo legal. Agora, posso renovar de forma pacífica o meu pedido."

O Papa Francisco já reagiu. O Vaticano indicou, em comunicado, que o Sumo Pontífice acompanha os desenvolvimentos do caso e que o líder da Igreja Católica vai observar um período de reflexão antes de tomar uma decisão.

François Devaux, vítima de abusos sexuais e presidente da associação "La Parole Libérée": "Continua a haver uma falha moral que é hoje difícil de negar. Não se trata de esmagar o homem, mas penso que, moralmente, é difícil que Philippe Barbarin continue a ocupar as funções, como outros no FMI ou no Ministério do Orçamento. É a bancarrota moral."

Guillaume Petit, euronews: "Esta novela judicial que marcou a Igreja em França ainda não terminou. Um dos advogados das partes civis anunciou a intenção de recorrer aos tribunais para contestar a prescrição de determinados acontecimentos. Os queixosos, apesar da deceção, sublinham a importância do processo para agitar a questão dos abusos sexuais de menores no seio da Igreja e, de uma forma mais geral, da sociedade em França."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Francisco aceita demissão do Arcebispo de Lyon

Macron pede que antissemitismo seja discutido nas escolas após violação de uma jovem judia

Líder da extrema-direita opõe-se ao envio de tropas francesas para a Ucrânia