Última hora
This content is not available in your region

Aviões provenientes da China continuam a aterrar na Hungria

euronews_icons_loading
Aviões provenientes da China continuam a aterrar na Hungria
Direitos de autor
Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

No Aeroporto Internacional de Budapeste, os aviões provenientes da China vão aterrando, sem qualquer restrição. Embora a Hungria não faça parte da lista dos países com casos de pessoas infetadas com o coronavírus, esta semana, um piloto chinês foi levado para o hospital da capital húngara depois de se sentir mal. O vírus acabou por ser despistado.

Apesar da ameaça, o governo húngaro não tomou nenhuma medida para evitar a propagação que já infetou milhares de pessoas em todo o mundo.

Segundo um infeciologista da Universidade de Semmelweis, na Hungria, a propagação não pode ser descartada.

"É muito provável que o vírus apareça na Hungria, não podemos excluir a possibilidade, considerando os hábitos de viagem de hoje em dia e também o facto de que há um número significativo de estudantes chineses nas nossas universidades.", explicou à Euronews.

Além de estudantes, muitos chineses a viverem na Hungria foram à China durante as férias de ano novo chinês e regressaram já depois do surto. Muitos deles trabalham em fábricas com centenas de funcionários.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.