Última hora
This content is not available in your region

Luxemburgo bane glifosato

euronews_icons_loading
Luxemburgo bane glifosato
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

O Luxemburgo é o primeiro país da União Europeia a proibir o uso de glifosato, uma substância utilizada em vários herbicidas e, de acordo com a Organização Mundial de Saúde, potencialmente cancerígena.

No dia 1 de fevereiro, o grão-ducado retirou a licença de comercialização de produtos com esta substância, antecipando, assim, em dois anos o período dado por Bruxelas.

"Temos alternativas suficientes para substituir os pesticidas. Os Estados-membros têm a possibilidade, na União Europeia, de proibirem pesticidas específicos por razões de saúde ou ambientais e até agora vemos que isso é muito raro. Portanto, agora, o Luxemburgo ao liderar o caminho, mostra-lhes que podem usar o dinheiro da Política Agrícola Comum para apoiar os seus agricultores na transição para uma agricultura livre de pesticidas. É um sinal muito bom que outros Estados-membros devem seguir", sublinha o ativista da Rede Europeia de Ação contra Pesticidas, Martin Dermine.

Depois da primeira fase do processo para a proibição total de glifosato no país, os comerciantes luxemburgueses têm até 30 de junho para escoarem todo o stock existente. Os agricultores têm até 31 de dezembro para utilizarem os produtos.

Em Portugal, o Parlamento chumbou, em dezembro medidas para restringir ou banir o glifosato no país.