Merkel contra a aliança entre a CDU e a extrema-direita na Turíngia

Merkel contra a aliança entre a CDU e a extrema-direita na Turíngia
Direitos de autor APThemba Hadebe
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A chanceler alemã protesta contra a aliança entre o seu partido, a CDU e a AFD, da extrema-direita para a eleição de Thomas Kemmerich na Turíngia.

PUBLICIDADE

"Um ato imperdoável". "Um mau dia para a demcracia". Foi assim que a chanceler alemã, Angela Merkel, classificou a aliança eleitoral inédita entre o seu partido, a CDU e a extrema dieita da AFD, no estado da Turíngia.

A partir da África do Sul, onde se encontra em visita de Estado, Merkel pediu a anulação da eleição e disse: "A eleição deste primeiro-ministro foi um processo único que vai contra uma convicção básica para a CDU e também para mim, a saber, que nenhuma maioria deve ser ganha com a ajuda da AfD. (...) Foi um dia mau para a democracia. Foi um dia que quebrou com os valores e convicções da CDU. E agora tudo deve ser feito para deixar claro que isso não pode, de forma alguma, ser compatível com o que a CDU pensa e faz".

O liberal, Thomas Kemmerich, do FDP, graças aos apoios da AFD e da CDU ultrapassou por apenas um voto o rival, Bodo Ramelow, do partido da esquerda radical, Die Linke.

O resultado é ainda mais inesperado porque a esquerda ganhou as eleições de outubro, nesta antiga região da RDA.

Logo que foi conhecido o resultado da eleição, centenas de pessoas protestaram nas ruas de Berlim.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

CDU escolhe nova liderança

Solução à vista na Turíngia

Thomas Kemmerich cede à pressão e afasta-se do cargo de líder regional da Turíngia