Última hora
This content is not available in your region

Pedro Sánchez e Quim Torra abrem via do diálogo

euronews_icons_loading
Pedro Sánchez e Quim Torra abrem via do diálogo
Direitos de autor  Emilio Morenatti/ASSOCIATED PRESS
Tamanho do texto Aa Aa

Pedro Sánchez e Quim Torra reúnem-se com vontade de abrir a via do diálogo. Foi o primeiro passo no cumprimento do acordo de Governo entre o PSOE e o Esquerda Republicana: a criação de uma mesa de diálogo pré-estipulada que vai acontecer neste mês de Fevereiro.

A ideia deste primeiro encontro foi cultivar um ambiente de diálogo sobre o conflito catalão e estabelecer as bases da futura mesa de negociações. O Governo espanhol disse que não existem assuntos proibidos, mas avisou que os limites são impostos pela própria Constituição espanhola.

Estamos convencidos que podemos superar a resistência dos que não querem o diálogo, porque os que querem o diálogo e o reencontro são muitos mais e, para além disso, representamos o princípio da esperança. E até acredito que os que se opõem ao diálogo, visto que não oferecem nada de positivo, vão acabar por unir-se à via do acordo para não ficarem sozinhos. Os mediadores vão ser os 47 milhões de cidadãos, testemunhas de um diálogo franco, sincero e aberto, no qual, logicamente, conhecerão todas as propostas e todos os pareceres e posições do Governo da Espanha e do Governo da Geralitat da Catalunha.
Pedro Sánchez
Primeiro-Ministro de Espanha

Apesar de conhecer a posição do governo, Quim Torra deve colocar em cima da mesa a autodeterminação da Catalunha e a realização de um novo referendo.

Por um lado, queremos o exercício do direito de autodeterminação, especificado num referendo acordado validamente entre governos com efeitos internacionais e o fim da repressão... ou seja, que páre todos os processos judiciais repressivos, as ações do Minis tério Público ou da Advocacia do Estado.
Quim Torra
Presidente da Generalitat da Catalunha