Última hora
This content is not available in your region

Coronavírus já matou mais de 1000 pessoas na China

euronews_icons_loading
Coronavírus já matou mais de 1000 pessoas na China
Direitos de autor  (Chinatopix via AP)
Tamanho do texto Aa Aa

O número de mortos provocados pelo coronavírus na China já passa de 1000.

As autoridades de Pequim registam 1016 mortes e, pela primeira vez, mais de 100 mortes em menos de 24 horas.

O Reino Unido, num conjunto de medidas para conter a propagação do vírus. diz que os infetados podem ser forçados a ficar de quarentena.

A medida surge depois de um centro médico e uma farmácia terem sido temporariamente encerrados após as análises de um funcionário darem positivo.

Na Grã-Bretanha, oito pessoas foram diagnosticadas com o coronavírus.

A Organização Mundial de Saúde deixa o alerta:

"Nos últimos dias, vimos casos preocupantes de transmissões de pessoas sem histórico de viagens para a China. A deteção desse pequeno número de casos pode revelar a faísca que se torna num incêndio, mas por enquanto é apenas uma faísca. O nosso objetivo continua a ser a contenção" afirmou o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom.

Bruxelas vai realizar uma reunião de emergência dos ministros da Saúde da União Europeia, na quinta-feira, para discutir a propagação do vírus.

"É possível, porém, que antes que as coisas melhorem, elas ainda piorem, ou ainda possam piorar, mas isso não nos vai desencorajar. Apenas nos irá motivar mais", revelou o comissário europeu para a Gestão de Crises, Janez Lenarcic.

Na China, o Presidente Xi Jinping apareceu em público pela primeira vez desde o inicio do surto do novo corona vírus, colocou uma máscara e mediu a temperatura enquanto se encontrava com profissionais de saúde em Pequim.

O Presidente chinês ainda não visitou a cidade de Wuhan, onde o vírus surgiu pela primeira vez.

Com o fim do feriado do Ano Novo Chinês, esperava-se uma grande afluência de pessoas no regresso ao trabalho. Mas as ruas, metros e autocarros da capital da chinesa estão longe da movimentação habitual. Muitas empresas permanecem fechadas e estão a incentivar os funcionários a trabalharem em casa.